Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Praia... Here I Go!!!

 

 

Começo amanhã a época balnear com os meus meninos do convento.

Espero não vir cozida, assada ou grelhada porque vai fazer um calorão dos diabos.

Vou armada com dois protectores solares de índices diferentes, um chapéus para proteger os pobres neurónios já tão amarfanhados pelos cansaço e ainda uma t-shirte e óculos escuros.

Deixo-vos aqui umas perguntinhas para irem pensado até ao meu regresso aqui amanhã:

 

- As "manas" vão à praia?

- Em caso afirmativo, como vão elas vestidas?

- Virei com algum escaldão valente?

- E quantos quilos de areia trarei agarrados?

 

Think about it!

 

Penis? Ooops…!

 

Hoje foi dia de reunião surpresa(!) lá no convento. Por causa disso e a propósito deste post da C.M., lembrei-me de uma cena caricata ocorrida durante as reuniões de avaliação – quer dizer, da reza e meditação em grupo onde se faz tudo menos falar dos alunos - do 2º período no convento.

 

Como é hábito, as avaliações dos alunos são feitas directamente no computador da sala de cada ano. Assim fica logo o trabalho todo organizadinho (se não formos como uma determinada profe que só a meio do 3º período entregou as avaliações aos encarregados de educação e ninguém a chateou por isso) e é só imprimir e entregar quando chegar a altura.

 

Quando acabámos a reunião e antes de irmos almoçar, decidimos ir tratar das avaliações dos alunos para conseguirmos sair mais cedo. Mas o nosso colega de ginástica estava com alguns problemas com as suas avaliações.

 

A mana-mor resolveu então dar um ar de sua graça para resolver o problema. Virou-se para o meu colega, toda derretida e como a dentadura de cavalo à mostra, isto é, toda sorridente e disse-lhe:

 

- Trouxe a pénis? Pode ir comigo à minha sala descarregar a sua pénis… é só enfiar e descarregar… costuma dar…

 

Eu e a minha colega demos um toque de cumplicidade uma à outra no joelho, e mordemos os lábios para não desatarmos a rir perdidamente. Mantivemos o nosso ar solene e selecto e quando nos apanhámos sozinhas caímos na gargalhada sem fim.

 

Descodificando: a pénis, era a PEN onde o meu colega trazia os ficheiros das avaliações e que iria DESCARREGAR no computador da mana-mor.

 

A linguagem tecnológica é muito traiçoeira e quem não tem cuidado com o que diz, dá nisto! Ainda vai parar ao inferno por ter uma língua atrevida… Pimenta na língua da mana-mor!!! Ihihihih!

 

Dia Dos Doidos

                    

 

A quinta-feira é o meu pior dia da semana. Já vos contei que este ano estou a trabalhar num terceiro colégio? Pois é... E este colégio parece a escola dos doidos. começando por mim, claro!

 

Pra começar, cada turma tem dois níveis e só há duas turmas. Numa das turmas, tenho um choramingas mariquinhas, um bangladeshiano (inventei esta agora!), um indiano, um africano, um que tem pioneses na cadeira, e um com síndrome de asperger. Estas aulas são uma animação!

 

Mas a outra turma também não se fica atrás! Tenho um loiro "burro" (sem conotações negativas, atenção), um chinês que não se calara - deve ser do glutamato de sódio da comida -, uma chinesa comichosa e outro mais surdo que uma porta, tadito. Saio de lá cansada de ter de falar em tom elevado.

 

Para completar a festa, as salas onde dou aulas devem ser uns ex-galinheiros. Para sair daqui e ir para o convento, tenho de subir 65 escadas de um fôlego só e mais uma subida serpenteante.

 

Saio do galinheiro para me enfiar no convento. Aqui, com sorte, tenho as caixas das tartarugas todas sujas e mal cheirosas dentro de uma sala de aulas e mais um ou dois pássaros à solta. Mas esta história fica para vos contar noutro dia!

 

Mas Que As Há, Há…!

Hoje dei início às aulas no convento. Confesso que ia um tanto ou quanto desmotivada devido às mudanças por lá operadas.

 

Mas como eu não desisto nunca, lá preparei as coisas todas para as minhas primeiras aulas – ontem à noite e hoje de manhã parecia uma barata* tonta – e hoje rumei ao convento ao encontro das manas.

 

Antes de entrar pelo solene portão verde de dimensões gigantescas, fui até ao café do costume (não pode ser qualquer um para não se encontrar os papás dos alunos e haver falatório – recomendações internas) onde encontrei as minhas duas colegas “não-manas”.

 

Uma é a minha amiga de sempre e em quem tenho a máxima confiança e amizade, e a outra é a tal que eu fui substituir e que os pais não gostavam nada. Não ganharam nada com isso porque ela fez macumba às manas e já lá está de novo. Os pais andam a tremer, mas isto são pormenores!

 

Esta foi a segunda vez que vi a “não-mana”-que-eu-fui-substituir e aquilo que me ocorreu de imediato foi… preparem-se pois já sabem como esta cabecinha funciona… que ela era uma velha bruxa!!!!!

 

Opa, desculpem lá, mas uma chavala com uns óculos todos fedorentos e tortos, pendurados na ponta do nariz, que fala connosco a olhar por cima das lentes e não através delas, que tem os dentes cheios de musgo verde, não é uma velha bruxa?! Ah e o chapéu devia estar dentro da sua mala da mafaldinha ou da pucca ou hello kitty ou lá que era aquilo. Era chato ver-se entrar uma bruxa no convento.

Ainda pensavam que ali era a escola do Harry Potter…

 

E como era o primeiro dia de aulas e era um momento para recordar, eu andei a tirar fotos às crianças e em nome da posteridade, consegui tirar uma à não-mana bruxa. Ora vejam lá se eu não tenho razão?!

 

                        

 

 

 

 

*Em breve isto vai dar um belíssimo post. Me aguardem!